top of page

REVIEW DO ÁLBUM FOUND HEAVEN DE CONAN GRAY FAIXA POR FAIXA

Lu Days


Só tem uma coisa que eu gosto tanto quanto livros, música. Por isso, resolvi trazer como pauta do meu texto de hoje o novo álbum de um artista extraordinário por quem eu me apaixonei o ano passado, o nipoamericano Conan Gray.



Só tem uma coisa que eu gosto tanto quanto livros, música. Por isso, resolvi trazer como pauta do meu texto de hoje o novo álbum de um artista extraordinário por quem eu me apaixonei o ano passado, o nipoamericano Conan Gray.


Conan já tem dois álbuns (Kid Krow e Superache) e um EP (Sunset Season), que lançou depois de anos divulgando covers e músicas autorais no Youtube. O cantor de 25 anos resolveu inovar em seu novo álbum, com uma ambientação típica do pop dos anos 1980. E como eu sou uma pessoa muito insuportável vou falar faixa a faixa desse álbum até te convencer a ouvir. Aceita o convite?



ÁLBUM FOUND HEAVEN DE CONAN GRAY

1. Found Heaven – a primeira faixa explica um dos significados do nome do álbum, “encontrar o paraíso” ou um lugar seguro. Numa vibe meio ABBA meio gospel, ele fala sobre o significado da religião para uma pessoa queer que cresceu em um lar opressor e violento. Destaque para o os primeiros versos do refrão “fique tranquilo criança, você não é um demônio”. Começamos o álbum com referência a própria família do Conan, assunto que retornará na última faixa.


2. Never Ending Song – Com clipe em um supermercado, Conan nos surpreende com seu talento vocal falando sobre uma pessoa que ele pensou ter superado, mas que ao ver algo que remetesse as memórias daquela época todo o sentimento retornou “como uma música que nunca acaba”.


3. Fainted Love – essa é difícil de interpretar o nome em favor do significado da composição, mas o melhor que posso fazer por ela é “amor raso”. Ela tem uma batida animada e partes em que Conan cita coisas que a pessoa com quem ele teve um relacionamento ruim no ano passado teria lhe dito, como “entenda, nós não somos nada, e eu sou pior se você me quiser”. Mesmo assim, Conan reflete que um amor raso é melhor do que nada.


4. Lonely Dancers – essa é uma das minhas preferidas do álbum. Além de ter um clipe muito engraçado, a batida é super alto astral e dá vontade de sair cantando. Lonely Dancers é um hino dos corações partidos e foi escrito em um dos momentos de distanciamento entre o Conan e a pessoa com que ele se relacionava. Se sentindo sozinho ele fala sobre dançar para não chorar.



5. Alley Rose – foi a última música a ser escrita, depois do término oficial do relacionamento dele. Aqui Conan reflete sobre a gratidão de ter vivido esse amor, mesmo que tenha acabado mal. A faixa é uma balada linda com um lado C sensacional.


6. The Final Fight – é uma balada que fala daquela situação em que a gente gostaria de ter dado uma resposta melhor no final de uma discussão. Uma curiosidade sobre essa faixa é que The Final Fight contou com seu nome aparecendo em alguns materiais como The Final Flight, o que fez os fãs entenderem que seria uma brincadeira com Fight or Flight outra música do Conan, do álbum Kid Krow, e a expressão correr ou bater, fazendo graça com dois significados a última luta ou a última fuga.


7. Miss You – não sei nem como explicar a sonoridade dessa música, mas assim, ela se parece muito com músicas do Latino nos anos 90. Brincadeiras a parte, segundo o próprio Conan, Miss You fala sobre ter uma experiência ruim em um relacionamento e descobrir que o amor do passado era muito melhor, por mais que ele tenha sido o responsável pelas coisas não terem saído bem.


8. Bourgeoisieses – se fala borjuasises e é a música mais maluca do Conan. A faixa, segundo Conan, brinca com as memórias de infância dele quando seu maior sonho era ser rico. Bourgeoisieses é considerada irmã de Affluenza (Kid Krow), faixa que conta o ponto de vista de Conan sendo uma pessoa que sempre foi pobre ao conhecer os luxos de Los Angeles.


conan gray

9. Forever With Me – para mim a música mais bonita do álbum, uma balada digna de novela do Manuel Carlos. A faixa conta sobre uma situação entre duas pessoas que não deu certo, mas que as memórias sempre ficarão com ele. E que por mais que ele poderia ter sido a razão desse laço não existir mais, ele não se arrepende de nada do que fez.


10. Eye Of The Night – uma música muito animada que tem sido atrelada a Michael Jackson pelos fãs. A faixa fala sobre ansiedade e sentimento de perseguição, contando sobre uma luta silenciosa para se manter são.


11. Boys & Girls – essa é a música que mais faz referência direta a outras músicas do Conan, como: Greek God e Crush Culture (Sunset Season), Maniac, Wish You Were Sober e Checkmate (Kid Krow). A música mais animada do álbum tem muito sintetizador e usa isso de forma cômica, enquanto Conan fala sobre se apaixonar por alguém que todo mundo é apaixonado.



12. Killing Me – Em uma batida animada Conan conta o episódio que passou gripado enquanto a pessoa que se relacionava com ele seguiu a vida como se eles não tivessem um compromisso, até resolver voltar. A gripe que, segundo ele, pegou deste parceiro por causa de um beijo, acabou evoluindo para um caso grave que fez Conan operar as amígdalas.


13. Winner – essa é a minha queridinha. Winner fala sobre a relação complicada da família de Conan, retomando o tema não só da primeira faixa do álbum, mas também de Family Line e Jigsaw (Superache). Conan começa a faixa contando a história de quando teria fugido de casa aos 14 anos por não ter o que comer e um de seus pais estarem ausente há dias. Em toda música ele reflete que não há como se comunicar com a família se eles não conseguem admitir seus erros, repetindo o verso “você nunca quis ouvir a verdade, não é mesmo?”.


Espero que vocês tenham sentido curiosidade sobre o álbum, mas a pergunta é: gostaram desse tipo de post, porque eu adoraria voltar com mais review faixa a faixa de outros álbuns.


 



Comentarios


bottom of page