top of page

Livros que me lembram porque eu amo ler

Fran Borges


Quando eu me apaixonei pelos livros, principalmente pelas histórias de ficção. Quais são os ingredientes que me encantavam em uma história. Sabe aquela sensação de quando você está lendo ou termina um livro e diz para você mesma: “é por isso que eu amo ler”.


Outro dia eu parei para recordar quais motivos me tornaram uma leitora. Quando eu me apaixonei pelos livros, principalmente pelas histórias de ficção. Quais são os ingredientes que me encantavam em uma história. Sabe aquela sensação de quando você está lendo ou termina um livro e diz para você mesma: “é por isso que eu amo ler”.


A leitura tem sido minha fiel companheira há muitos anos, muitas vezes ele foi meu único consolo, meu alento em horas difíceis. Ela me salvou muitas e me salva muitas vezes da solidão e me consola nos momentos em que tenho que lidar com os altos e baixos de ter transtorno de ansiedade e depressão.


Nos últimos meses tenho sofrido com altos e baixos e minha fiel amiga, a leitura, está me acompanhando. Uma trilogia em especial me fez parar e me perguntar: quais os livros já me trouxeram essa sensação de “é por isso que amo ler” e vou compartilhar alguns deles aqui com vocês.

A trilogia As Últimas Horas da Cassandra Clare foi que me inspirou a escrever esse texto. Eu já entrei no esquema de pirâmide da Cassie faz muito tempo e no que depender de mim ela pode continuar eternamente. Eu amo o universo dos caçadores de sombras que ela criou e soube expandir muito bem com livros que se passam no nosso presente e livros, como a trilogia que mencionei, que se passam no passado, mas especificamente nesse caso na Inglaterra Eduardiana.


Além do universo, o que mais me apaixona são os personagens que a Cassandra cria e suas relações de amizade. Cassie trabalha muito bem com vários personagens e faz com que a gente se apegue a cada um deles e a todos como um grupo. Sinto um conforto imenso quando leio esses livros e cada vez que paro de ler não vejo a hora de retornar. Já estou no último livro da trilogia, são quase 800 páginas, mas você não vejo elas passarem. Se você além de fantasia, gosta de muita representatividade, romance e relações de família e amizade vai gostar.



O Morro dos Ventos Uivantes de Emilly Brontë é um amor recente e foi a minha melhor leitura de 2022. Costumo pensar que existem alguns autores que conversam com a nossa alma, é como se eles nos lessem, como se aquelas palavras fossem escritas para você ler. E foi isso que aconteceu comigo enquanto eu lia esse livro.


É espantoso pensar que Emilly nasceu pronta. Esse foi o seu primeiro e único romance e ele entregou tudo. Emilly viveu em uma época que era ainda mais difícil ser mulher, ainda mais uma mulher com menos recursos, como era o seu caso. Em apenas um livro ela faz uma crítica incrível a situação da mulher e ainda consegue falar de racismo, xenofobia, colonialismo e até dá uma pincelada no fanatismo religioso. Sensacional, é para isso que eu leio livros.



O Evangelho Segundo Jesus Cristo de José Saramago. Para quem me conhece não é surpresa nenhuma ele aparecer por aqui por que ele é um dos meus autores da vida. Saramago é outro escritor que consegue ler a minha alma e acho que ele vai ainda mais fundo. É como se visão de mundo que ele tem do mundo se entrelaçasse com a minha. Eu me sinto sendo lida por seus livros, assim como eu os leio.


O Evangelho em particular traz essa sensação de amor pela leitura por um dos diálogos mais perfeitos e bem escritos que eu já li. São páginas de Deus, o Diabo e Jesus Cristo conversando em um barco. Simplesmente isso. E é fantástico, algo que depois que você fecha o livro pensa: eu li um obra-prima. Se você não quiser ler o livro inteiro (coisa que não recomendo, leia sim) procure apenas esse diálogo e se apaixone.



Os Bridgerton de Julia Quinn. Julia tem fogo naquela pena e um talento incrível para escrever romances com muito humor. Eu gargalho lendo seus livros, além de torcer pelos casais. Ela também consegue fazer algo que eu amo em livros, relações de família e amizade bem desenvolvidas. Você sabe como os livros vão terminar e isso não importa, o que importa é a jornada tão divertida que você tem até lá.


Ler a série dos Bridgertons é como um frescor de diversão e sempre me deixava animada voltar para mais um livro e perceber que também amo ler por isso, para me sentir leve e feliz.





Para terminar, aquele que foi a minha leitura favorita de 2020 e que vai ter adaptação para os cinemas em 2023, inclusive vou deixar o trailer sensacional que saiu faz poucos dias. Sim, estou falando dele: A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes de Suzzane Collins. A Cantiga conta a história de como surgiram os Jogos Vorazes, a trajetória de Coriolanus Snow e como nasceram e se reproduziram os Mockingjays, e com eles a resistência.


Suzzane Collins tece uma crítica ao imperialismo/capitalismo das mais incríveis que já li, porque ela faz isso de uma maneira extremamente acessível. Quando você lê todos os livros da trilogia e depois Cantiga e percebe cada detalhe, tudo ligado e muito bem conectado e a mensagem final que ela passa é genial. Eu bato palmas e mal posso esperar por mais de Suzzane.



Existem vários outros livros que me trazem essa sensação de amar tanto ler ficção e eu poderia escrever uma verdadeira tese por aqui, mas vou poupar vocês hahaha. Agora me conta um livro ou vários que quando você lê você diz “é por isso que eu amo ler”.


 



2 commentaires


Oie, Fran! Estou louca para ler Os bridgertons. Agora fiquei ainda mais empolgada. Acho que lerei o livro 1 ainda neste semestre.

bjs

www.jeniffergeraldine.com

J'aime
kenpodeler
kenpodeler
10 mai 2023
En réponse à

Oi, Jeniffer, espero que goste da leitura. Acho que a Julia Quinn é especialista em humor e essa é a característica que mais gosto dessa série. Beijo

J'aime
bottom of page