top of page

Heartstopper vai encher seu coração de amor

Lu Days


A história cobre o clichê, já batido em histórias heterossexuais, do personagem esportista que se apaixona pelo personagem nerd. O diferencial de Heartstopper está em Alice.


Nick e Charlie heartstopper

Tenho pensado sobre esse texto há algum tempo, deixei para escrever de fato depois de assistir a segunda temporada da série, mas quase que não encontrei palavras pra descrever o que a história de Nick e Charlie fizeram comigo.


Heartstopper é uma série de quadrinhos escrita por Alice Oseman. Narra o encontro de dois garotos ingleses, que estudam em uma escola para meninos, e acabam se apaixonando, depois de construírem uma amizade inusitada.


A história cobre o clichê, já batido em histórias heterossexuais, do personagem esportista que se apaixona pelo personagem nerd. O diferencial de Heartstopper está em Alice.


Aqui eu gostaria de explicar brevemente porque essa narrativa, que parece simples, me pegou de um jeito tão certeiro. Alice Oseman, assim como eu, é uma pessoal Arromântico Assexual. Quando você não sente atração romântica e nem sexual a forma como se lida com o amor romântico é diferente. O amor fictício dos livros escrito por pessoas aroace é diferente. É uma perspectiva diferente.


Capa e poster de heartstopper

A forma como a relação de Nick e Charlie é natural, partindo de uma simples simpatia, se tornando uma amizade forte até desaguar num amor eterno, sem precisar cumprir todos os contratos sociais de tensão sexual e brigas desnecessárias para esquentar a relação, me encanta muito. São apenas duas pessoas que estão descobrindo que se amam, ao mesmo tempo em que descobrem que gostam da companhia um do outro.


Os quadrinhos viraram série para a Netflix, agora com duas temporadas já disponíveis. Enquanto a primeira temporada é leve e alto astral, nos apresentando um grupo de amigos começando a se estruturar, a segunda temporada nos leva a enxergar problemas varridos pra debaixo do tapete constantemente e um dos maiores arcos de found family (amigos que se tornam família) já feitos, enquanto desbrava o amor e companheirismo dos protagonistas.


Alice Oseman é mestre em nos mostrar que mesmo em momentos alegres existe melancolia. O último episódio da segunda temporada serve muito esse conceito de rir pra não chorar, mesmo que o público esteja chorando. Dou destaque para a última cena, uma singela e delicada conversa entre o casal de protagonistas, em que Charlie enfim desabafa sobre seus problemas com comida e automutilação durante a época que sofreu bullying na escola, e como esse trauma continua o perseguindo.



É uma cena digna de premiação. Sou suspeita pra falar, pois amo ambos, mas os atores Joe Locke e Kit Connor me fizeram sentir a dor dos personagens de uma maneira que ainda reverbera.


A segunda temporada ainda apresenta o primeiro personagem Arromântico Assexual do audiovisual. Isaac é perfeito. Me representa em muitas maneiras. Desde o fato de estar sempre com um livro na mão, coisa que eu fazia muito quando tinha a idade do personagem, até encontrar sua verdade. Fico feliz que muitas pessoas poderão ter contato com os dois termos antes de desenvolver diversos traumas como eu e tantos outros.


Acho que já deu pra entender que eu amo Alice Oseman e toda sua obra. A série de TV para Heartstopper sempre terá um espaço enorme no meu coração.


Alice Oseman e Isaac heartstopper

E para quem cobra uma narrativa mais realista, ou mais parecida com outras séries adolescentes (como Euphoria), afirmando que Heartstopper é problemática e sem graça, lembrem-se sempre de quem a escreve.


Lembrem-se sempre de que temos uma sociedade doente e viciada em sexo. Lembrem-se sempre que existe amor e que nós, aroace, escrevemos suas histórias de amor. As que te dão frio na barriga, as que te fazem suspirar, as que fazem você abrir uma conta num site de fanfic. Nós escrevemos suas histórias de amor!



 





Kommentarer


bottom of page